Seguidores

domingo, 31 de julho de 2011

PEDIDO DE PERDÃO



Um dia eu magoei
Magoei a quem amo
Magoei por não ser perfeito
Magoei sem saber ou pensar no que estava fazendo.



Um dia eu fui magoada
Magoada pela minha imperfeição
Magoada por minha suscetibilidade
Magoada no meu orgulho.




O amor sempre vence
Vence tudo o que nos aflige
Vence todos que se prejudicam
Vence a mim.





Mais uma vez eu peço perdão
Perdão a quem amo
Perdão com o mais profundo sentimento
Perdão pela mágoa provocada.

Um dia eu magoei
Um dia eu fui magoada
O amor sempre vence
Mais uma vez eu peço perdão.

(Autor: Felipe Mollati)







quinta-feira, 28 de julho de 2011

É errando e apanhando que se aprende....



Sempre ouvi dizer que submissa morre pela boca, se morre eu não sei, mas que apanha, apanha!!! e não é pouco, não!!! O pior é que não aprende, acho que é da natureza da mulher falar demais, natureza ou não pelo menos vou pensar um milhão de vezes antes de abrir minha boca pra responder ao meu Dono.



Essa semana passeando pelos blogs me deparei com uma postagem da Catlin_DS contando a experiência dela com o castigo aplicado pelo Dono dela, fiquei até espantada com a semelhança com a minha experiência. As subs são mais parecidas dos que parecem!! Pensei eu. Mesmos erros, mesmos castigos...



A verdade é que essa semana deveria ser de comemoração, Dono e eu completamos 11 meses juntos, 11 meses de entrega, servidão, dedicação e muito amor, 11 meses de aprendizados e moldagem de uma sub que tem muito a aprender. Dono estava chateado comigo, andei falando mais do que devia e pensando o que não devia, acho que por nossa relação ir além do BDSM eu acabei meio que esquecendo meu lugar de sub e a dele de DONO, pois essa semana ele fez me lembrar o meu lugar, e duramente.



Dono pediu pra que eu o encontrasse no shopping depois do trabalho, passei o dia ansiosa aguardando o momento de ve-lo, estava morrendo de saudades de abraça-lo, beija-lo, senti-lo. Acabou o expediente e fui correndo pro shopping, Dono me manda um torpedo dizendo pra eu aguarda-lo e que enquanto isso flertasse com as mulheres que me chamassem atenção por lá e me excitasse com a situação, Dono sabe que isso é bastante constrangedor pra mim e que faço isso pra ve-lo feliz mas não é a mais divertida e excitante das tarefas que ele me dá. Mas como eu sabia que o Dono andava de pavio curto pro meu lado achei melhor não dar motivos pra ira dele aumentar. Fiquei andando pelo shopping observando as mulheres, resolvi tentar algo na praça de alimentação, comprei um refrigerante e andei por entre as mesas procurando a minha "vítima", encontrei uma que me chamou a atenção e me sentei na sua frente e a encarei sem pudor, ela de principio ficou meio sem entender, mas depois que percebeu que estava sendo paquerada começou a olhar feio, achei melhor trocar de lugar. Encontrei outra e fiz a mesma coisa, mas acho que ela estava esperando alguem que estava atrasado, pois nao parava de olhar para o relógio de cara feia. Eu mandava torpedos pra ele contando os resultados e ele parecia nao se incomodar com minha aflição. Disse a ele que estava muito estranho comigo.



Dono mandou uma mensagem mandando eu me hospedar no motel e espera-lo nua na cama. GOSTEI DA IDÉIA!!!pensei comigo. Fui pra lá, chegando no quarto tirei a roupa e mandei uma mensagem com o numero do quarto, não demorou muito pra que ele chegasse, abri a porta toda safada me escondendo atras da porta, mas ele não estava com uma cara das melhores. Fechou a porta e foi logo tirando o cinto da calça dizendo que ia me mostrar quem estava estranho. Acho que fiquei branca feito cera com aquilo, mandou eu ficar de quatro na cama e me deu uma surra de cinta, com vontade, eu logo estava chorando alto e desesperada. Ele parou e falou pra eu preparar o banho dele, me pegou forte pelos cabelos me guiando até o banheiro. Preparei o banho e mandou que eu tomasse o meu primeiro, tomei rapidamente ainda chorando com a situação, me sequei e ia voltando pro quarto quando escuto: EU NÃO MANDEI VC SAIR, VAI ME DAR BANHO. Comecei a dar banho nele pelas costas, quando comecei a lavar a frente, ajoelhada no chão do boxe ele ergue a minha cabeça e cospe no meu rosto, várias vezes. Eu até gosto disso, gosto de humilhação, mas não sei pq aquela tinha sido humilhante no mal sentido da palavra, eu me senti um lixo. Mandou que eu chupasse, mas o pênis dele tava cheio de sabão e avisei a ele: NAO PERGUNTEI NADA CADELA, CHUPE!!! Obedeci, sentido o gosto do sabão na minha boca, ele desligou o chuveiro e me penetrou, comeu um pouco e mirou meu cuzinho, meteu com força, sem brincar nem nada, eu gritei e ele metia com força, comecei a chorar alto e ele me perguntava se estava doendo, eu dizia que não, ele falava pra nao mentir, eu nao tava mentindo, tava gozando, por incrivel que pareça. Ele não acreditou e parou, mandou eu me lavar e esperar na cama me masturbando. Olhei meu rosto no espelho enquanto saia, nada parecido com o rosto seguro e feliz que entrou por aquela porta minutos atras, era um rosto inchado pelo choro, pelos tapas que tomou, triste e envergonhada.



Fiz o que ele mandou, porém não conseguia me concentrar no que fazia, minha cabeça estava em volta do que estava acontecendo. Dono logo saiu do banho e veio transar comigo novamente, mesmo com a situação ainda consegui gozar, ele deitou e mandou eu ir por cima, eu obedecia a tudo sem falar uma palavra, minha voz tinha sumido, cavalguei meu Dono sem olhar seu rosto, a primeira vez que isso acontece, passei o tempo todo olhando seu umbigo. Quando gozou me deitou em seu peito, beijando minha testa, as lágrimas escorriam do meu rosto sem fazer força, fiquei minutos deitada sentindo o calor dele. Ele me deitou na cama e me acomodou em seu peito me abraçando, não era a mesma coisa. Mandou eu fazer massagem nos seus pés, adoro fazer isso, fiquei uns 30 minutos lá, vendo pelo espelho ele dormindo tranquilo. Ficamos um tempo lá e ele mandou eu me vestir e o esperar la embaixo, ia ja me dirigindo ao banheiro quando ele me mandou eu voltar e deitar em seu colo, pegou a cinta de novo, deitei e me senti como uma menininha sendo repreendida, ele dizia as minhas faltas cometidas me fazendo prometer não repeti-las e quando eu dizia SIM SENHOR, sentia o estalar ardido da cinta na minha bunda, não contei quantas mas muitas. Prometeu me tirar sangue da próxima vez, ele não estava brincando. Mandou eu beijar seu pés, beijei e lambi cada dedinho dele, mandou eu ficar deitada no chão frio nua enquanto ele tomava banho. Como eram as coisas, em outra situãção eu adoraria aquilo, mas dessa vez era muito humilhante. Ele voltou do banho, me colocou de quatro na cama e me comeu mais uma vez, terminando mandou eu me arrumar e esperar na embaixo. Tentei dar um jeito na minha aparencia mas nao tive muito sucesso, as recepcionistas do motel ficaram olhando pra mim, no mínimo estranhando a minha feição tão diferente de quando entrei.




Dono me levou até metade do caminho de casa, falei muito pouco pelo caminho, minha cabeça rodava, minha pele ardia, meu coração sangrava de arrependimento por ter deixado meu Amado Dono tão irado, em 11 meses foi a primeira vez que o vi daquela maneira, e vou fazer de tudo pra que seja a última.





"Dono, sinto muito pelas falhas que cometi, peço perdão com o coração em pedaços. Esqueci meu lugar, meu lugar de sua sub, sua cadela, sua propriedade e acabei por me eceder em palavras e pensamentos. Estou muito envergonhada e arrependida, afinal não posso me esquecer nunca que a 11 meses atras eu me entregava a ti, de corpo, alma e coração. Nada mais me pertence, nem meus pensamentos, todos são seus e durante todos esses 11 meses tem cuidado deles perfeitamente como o Dono cuidadoso, zeloso e amoroso que és, não posso deixar de agradecer nem um segundo sequer a Deus por te-lo colocado em meu caminho e lhe agradecer por ser meu Dono e por fazer parte da minha vida por completo. TE AMO MEU SENHOR, TU ÉS A MINHA VIDA." De sua cadela de hoje e sempre.





{Selena}_DOM MARCOS

sábado, 23 de julho de 2011

DEPENDÊNCIA

Desde que iniciei no BDSM, poucos mais de 4 anos (nossa como o tempo passa...), sempre ouvi dizer que o Dono deve representar tudo na vida de sua escrava, que ela não absolutamente nada sem ele. E certamente como uma aluna aplicada segui a risca isso com os poucos Donos que tive, me reduzi a quase nada e passei a viver em função deles, do prazer e bem estar deles em exclusividade, e durante esse tempo consegui certa felicidade e satisfação em acreditar que estava cumprindo meu papel de escrava direitinho, conforme me ensinaram.





Só que eu sempre me questionei se isso estava certo, vi vários relacionamentos SM onde as subs acreditavam piamente que seus Donos eram o ar que respiravam, o alimento que as mantinham vivas, o pilar que as sustentavam em pé, isso ficou tão fixo em suas mentes que isso passou a ser suas realidades, estavam vivas graças ao seus Donos. Lindo, não é mesmo? Em poesia pode até ser, mas na vida real acho um tanto assustador. Já vi subs que quando os relacionamentos porventura acabavam eram como se elas tivessem caido dentro de um poço sem fundo sem forças, meios ou até mesmo vontade de sair dele, como se estivessem mortas mesmo, e algumas chegam ao ponto de desejarem isso na forma mais básica da palavra. Cruzes!!! Não vejo a dependencia com bons olhos, gosto de ser independente.





Alguns vão dizer: Nossa, que Dono é esse que faz sua escrava ser independente? Mas eu sou, pq ele não é o meu ar, não é meu alimento e nem é o pilar que me mantem em pé. Ele me guia, me faz acreditar que sou Dona de minhas vontades, e minha vontade é pertencer a ele, minha vontade é servir a ele, ele é parte da minha vida, parte de mim, parte de minha felicidade, não é elemento principal de nada disso. Ele me completa, simples assim!!!




Não acredito que a dependencia seja algo saudavel em nada na vida, especialmente numa relação, pq isso creio eu faz a pessoa deixar de acreditar em si mesma, acreditar que o que faz ou tudo que é, acontece somente em razão daquilo que é dependente, a auto estima não existe. Não vou falar que já nao fiz parte desse clubinho, fiz sim e durante muito tempo, e hoje eu posso dizer com todas as letras que eu não era uma submissa feliz, tinha medo de falar, de agir, até mesmo de pensar...uma tortura psicológica constante. Não sou masoca, muito menos esse tipo.

Hoje sim me sinto uma submissa completa, encontrei o ponto de equilibrio da minha relação e estou radiante com isso. E com esse equilibrio continuar dia após dia junto ao meu Dono fortificar ainda mais nossa relação e nos tornar cada vez mais felizes

segunda-feira, 18 de julho de 2011

SOU TUA















Sou tua
Maria Lucilia Cardoso

Sou tua,
Entre cochichos e segredos,
Meu ser se integra ao teu,
Somos firmes elos livres dos medos.

Sou tua,
Uma mariposa que em torno de tua luz voa.
Um rio cristalino que mansamente corre ao mar,
O sibilar do vento que aos cantos ecoa.

Sou tua,
Dona de teus sonhos a luxúria das fantasias,
Sou o mistério que te enreda – te atiça
Envolto no véu de minhas poesias.

Sou tua,
Nos gemidos – nos sussurros de amargura,
Pelos desejos a muito contidos,
Sou frágil limite – sanidade e loucura.

Sou tua,
Como o é da tempestade a calmaria,
Como as estrelas que prenunciam à madrugada,
Como o alvorecer anuncia um novo dia.



sábado, 9 de julho de 2011

As surpresas nunca acabam...



Essa semana eu agradeci muito a Deus por não ter problemas cardíacos, porque se tivesse, certamente não estaria fazendo esse post agora. Tudo por conta da surpresinha que meu Amado Dono, DOM MARCOS, deu me de presente essa semana.




Não tenho dúvidas da minha posição em relação ao meu Dono, sei bem quem manda e quem obedece, lógico que tenho minhas fraquezas, coisas que ainda são difíceis pra mim, meu Dono conhece cada um deles de cor e salteado, aliás acho que às vezes ele me conhece melhor que eu mesma, e sabe bem trabalhar meus desejos e medos de forma saudável. Vejam o que ele me aprontou essa semana.




Dono vem falando muito esses tempos sobre me alugar a um estranho. Sim!!!Me fazer uma garota de programa por uma vez. Não sei se sou um et mas isso já fez parte de minhas fantasias sexuais e meu Dono bem sabe disso. Mas venhamos e convenhamos que fantasiar e por em prática é uma distância gigantesca e que muitas vezes quando a realidade chega você chega a conclusão que a fantasia era muito melhor. Mas na minha cabeça eu tinha a certeza nua e crua que ele não teria coragem de fazer tal coisa, levando em consideração que meu Dono morre de ciúmes de mim.





Mesmo assim Dono pediu que eu o encontrasse essa semana num hotel que eu sabia que era ponto de garotas de programa e que fosse com roupas provocantes. Até ai tudo bem, já haviamos nos encontrado nesse hotel e nada demais aconteceu. Só que dessa vez eu cheguei primeiro, e logo que cheguei recebi um torpedo do Dono me dizendo pra aguarda-lo na recepção que estava chegando. A recepção é onde as meninas ficam esperando seus clientes...Ai meu Deus!!!




Cheguei e tinha apenas uma GP certamente esperando o seu cliente, disse a recepcionista que estava esperando meu namorado e ela pediu que aguardasse ali mesmo, ao lado da moça.



Que vergonha!!!! Ela me olhava de cima abaixo, os homens entravam lá e ficavam medindo nós duas. Certamente escolhendo qual levaria pro quarto. Meu Dono ficava mandando mensagens dizendo que tava chegando e que aproveitasse para provocar os homens dali com olhares e ensinuações, mas tava toda sem jeito olhando desesperadamente para a entrada da garagem procurando o carro do Dono, mas nem sinal do dito, eu estava ficando apavorada. Pensava: "E se algum deles me abordar? Se vier me perguntar quanto é o programa? Claro q poderiam fazer isso, afinal eu estava no local de trabalho delas!!!




Que sufoco!!! Devo ter ficado lá uns 30 minutos, angustiantes 30 minutos, até que recebo uma mensagem do Dono me mandando ir a um determinado quarto que havia um cliente me esperando e que eu me comportasse como ele havia me orientado. O que? Ele só pode estar brincando comigo!!! Mas logo em seguida outra mensagem em letras garrafais OBEDEÇAAAAAAA. Fez me colocar o rabinho entre as pernas e me dirigir ao quarto indicado por ele. Nunca fiz um caminho tão curto em tanto tempo, eu caminhava a passos curtos na esperança que ele mandasse outra mensagem mandando eu voltar pra trás, só que ela não veio.




Cheguei a porta do quarto e bati, lá de dentro ouço uma voz dizendo: Entre!! acho que fingi não ouvir e bati de novo: Entre!!!Uma voz mais grave. Entrei toda sem jeito de cabeça baixa, eu mesma não acreditava no que estava fazendo. Como o Dono faz isso comigo!!! Pelo espelho em frente a cama vejo que tem alguem deitado na cama, mas não tenho coragem de olhar. Entro e fecho a porta, criando coragem de olhar para o homem que me alugou por aquela noite. Quando olho pra cama. Quem era? Meu Dono nu na cama morrendo de rir da minha cara. AIIIIII Q RAIVA!!!QUE VONTADE DE MATAR!!!!





Mas que alívio, obviamente eu tive que fazer um serviço completo de uma garota de programa, porém o meu cliente não precisa pagar nadinha pelo serviço, não precisar negociar nada, afinal sou totalmente dele e comigo ele faz o que quer. Mas ele não deixou de soltar um comentáriozinho que fez sua cadelinha tremer.



"Hoje não foi, mas um dia pode ser!!!." Espero que demore muito.........



sábado, 2 de julho de 2011

AMOR PROFANO





Sentimento profundo que meu coração queima,
Vazio de uma alma acorrentada a um destino,
Destino dos que não podem aportar em lugar seguro,
Por terem nesta vida um amor profano!
O é profano por ser chama ardente,
Por ser água a correr contra a correnteza,
Por não ter a liberdade precisa,




Por não poder voar entre almas com leveza.
Vagueia sem rumo... sem destino,
Não tem alicerces nem arrimos,
Vive somente de fagulhas de esperança,
Tentando das montanhas alcançar os cimos.
Quer luar... quer estrelas,
Quer dividir todas as alegrias. A pureza de cada instante.
Não vê entre o caminho tortuoso que trilha,
O horizonte encantado... ele lhe é muito distante.
O peito se oprime lentamente,
Gritando pela paixão que sente.
Banha seu mundo com lágrimas,
Quer poder transformar tudo rapidamente.
Não consegue... é um sentimento profano,



Não tem direito a felicidade,
Pela qual anseia loucamente,
Busca soltar as amarras... tirar as algemas,
Deseja entregar se por completo... plenamente.
Mesmo sabendo não ser livre nesta vida tão incerta,
Sabe dentro de si que será verdadeiro eternamente.
È sim um amor profano,
Mas dá luz há dias tão escuros,
Dá sentido real ao fictício.
Renova a esperança nos sonhos a muito relegados!
Quero-te... Aceito-te amor profano,
És a razão do meu continuar,
És a minha promessa de eternidade,
É todo o significado do verbo amar!


By Maria Lucilla Cardoso